• Oscar Valente Cardoso

Novidades Jurídicas de 2021: 1) Novo Valor do Salário Mínimo

Atualizado: 7 de jan. de 2021

Desde o dia 1º de janeiro de 2021, o salário mínimo em todo o território nacional passou a ser de R$ 1.100,00 (um mil e cem reais) por mês, fixado pela Medida Provisória nº 1.021/2020.


Em consequência, o valor diário do salário mínimo passou a ser de R$ 36,67 (trinta e seis reais e sessenta e sete centavos) e o valor horário de R$ 5,00 (cinco reais).


Apesar de o art. 7º, IV, da Constituição, proibir a vinculação do salário mínimo para qualquer fim, existem diversos reflexos decorrentes da ampliação do valor do salário mínimo, de R$ 1.045,00 para R$ 1.100,00.


Por exemplo, o benefício de prestação continuada da Assistência Social tem o valor mensal equivalente a um salário mínimo.


Da mesma forma, o piso dos benefícios do Regime Geral de Previdência Social, pagos pelo INSS, também é de um salário mínimo. Logo, não apenas o valor dos benefícios, mas das contribuições previdenciárias pagas com base no valor mínimo, amplia-se de acordo com o novo salário mínimo.


A concessão do abono salarial do PIS e do PASEP pago aos trabalhadores também leva em conta o salário mínimo. Entre os seus requisitos, está o recebimento de remuneração mensal média de até dois salários mínimos durante o ano-base (que em 2021 passa a ser uma média mensal de até R$ 2.200,00) e a definição do valor do abono leva em consideração a relação entre os meses trabalhados no ano e o salário mínimo (logo, em 2021 esse valor variará entre R$ 92,00, para quem trabalhar em apenas um mês, e R$ 1.100,00, para quem trabalhar durante os 12 meses do ano).


Entre as faixas de pagamento do valor do seguro-desemprego do trabalhador desempregado, sempre deve ser observado o piso equivalente a um salário mínimo. Além disso, o seguro-desemprego pago para os trabalhadores domésticos, os pescadores artesanais e os trabalhadores resgatados tem o valor mensal igual a um salário mínimo.


No Direito Processual, a definição da competência dos Juizados Especiais Cíveis igualmente leva em consideração o salário mínimo como parâmetro no valor da causa: até 40 salários mínimos nos Juizados Especiais da Justiça Estadual, até 60 salários mínimos nos Juizados Especiais da Justiça Federal e até 60 salários mínimos nos Juizados Especiais da Fazenda Pública de Estados, Distrito Federal e Municípios da Justiça Estadual ou Distrital.


Assim, o valor da causa máximo para o enquadramento na competência dos Juizados Especiais Cíveis (salvo as exceções qualitativas) passou de R$ 41.800,00 para R$ 44.000,00 (40 salários mínimos) e de R$ 62.700,00 para R$ 66.000,00 (60 salários mínimos).



Artigo também publicado no Jusbrasil (clique aqui) e no Jus Navigandi (clique aqui).

131 visualizações0 comentário